A partir de hoje todos os boletos podem ser pagos em qualquer banco, mesmo após o vencimento. A instituição que estiver recebendo o pagamento vai fazer os cálculos de multa e juros e mostrar o novo valor.

Todos eles passam ainda a ser registrados, contendo informações de CPF ou CNPJ do beneficiário e do pagador. Assim, é uma excelente ideia que você ative o Débito Direto Autorizado (DDA) em sua conta bancária.

Mas o que é DDA?

É um sistema que permite receber eletronicamente os boletos registrados em seu CPF ou CNPJ diretamente em sua conta. Sempre que algum for emitido, seu banco vai lhe avisar, permitir ver e pagar.

Note que DDA é diferente de débito automático. Neste último, é necessário cadastrar cada conta que deseja pagar automaticamente. No DDA, todos os boletos em seu nome são listados, sem cadastro manual.

Mas é com você escolher quando e se vai pagar. Essa parte é manual mesmo. Ao menos não vai ser necessário esperar o boleto impresso chegar nem escanear ou digitar códigos numéricos longos.

Você ainda colabora com o meio ambiente, já que não será preciso gastar papel com impressão. E não vai precisar ficar preso em filas quilométricas esperando sua vez para pagar todas as contas.

Se muito, vai enfrentar fila ou perder algum tempo para realizar o depósito em sua conta e o resto faz online. Tanto boletos daquelas comprinhas na Wish quanto a fatura do seu cartão de crédito podem ser pagas por DDA.

Só não entram no sistema contas de consumo como água, luz e telefone.

Como ativar o DDA?

O processo varia conforme o banco e nem todos são compatíveis com o sistema. Todas as instituições tradicionais de cimento e tijolo são adeptas do Débito Direto Autorizado e permitem que você ative essa ferramenta.

Abaixo você encontra uma lista com as páginas de ajuda e os caminhos para você ativar o DDA nas cinco principais instituições bancárias do país:

Caso o caminho não seja encontrado ou as instruções estejam desatualizadas, entre em contato com seu banco. O processo deve ser feito a partir de um computador.

Mais segurança

Já estava na hora de lançarem esse sistema, que melhora a segurança mesmo de quem não aderir ao DDA. Com o registro de todos os boletos, caso as informações não batam com a central, o pagamento é recusado.

Nesse caso, o cliente terá que ir até o banco que emitiu o boleto ou falar com a empresa/pessoa para a qual ele se destina e gerar um novo. Antes não havia essa checagem e existiam vírus para modificar boletos.

Eles alteravam a linha digitável e o código de barras, fazendo o dinheiro ir para a conta dos criminosos. Também existiam serviços que permitiam revalidar boletos vencidos simplesmente alterando a linha digitável.

E só bastava isso mesmo para que ele voltasse a ser aceito e pago. Não era algo exatamente ruim, mas acabou gerando problemas na época. Muitos boletos ainda vinham com imagens no lugar dos números.

Assim evitava que algum malware a alterasse. Para contornar os problemas, era pedido que o cliente checasse bem as informações. Era preciso prestar atenção no nome do banco e beneficiário.

Com o sistema registrado e centralizado não há mais estes riscos. Hoje é possível simplesmente copiar a linha digitável e pagar sem medo por conta das checagens que são realizadas.

Mas é sempre bom ficar atento, né? Saiba mais sobre DDA e baixe a cartilha sobre o tema  no site da Federação Brasileira de Bancos.