Cadastro Positivo: entenda a nova lei de adesão automática

Criado em 2011, o Cadastro Positivo é um banco de dados mantido por empresas de análise de crédito. Ao contrário de um serviço que lista suas dívidas vencidas, o Cadastro Positivo mostra que você é bom pagador.

Assim, enquanto você mantiver suas contas em dia, vai melhorando sua pontuação de crédito perante o mercado. Desta forma você pode conseguir melhores condições nos juros para realizar empréstimos e financiamentos e aumentar seu score de crédito.

São consideradas pelo Cadastro Positivo as contas de consumo como água e luz, assim como cartões de crédito, pagamentos em lojas, bancos e prestadores de serviço. Até então, mesmo que você fosse bom pagador, o mercado não tinha como saber.

Agora os bancos e empresas poderão ficar cientes disso e oferecer melhores condições para você. Antes desta lei ser aprovada, era preciso solicitar a inclusão nesse sistema, mas em abril as coisas mudaram.

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que torna compulsória a inclusão de consumidores no Cadastro Positivo. Desta forma, se até então você não fazia parte do banco de dados, vai passar a fazer de forma automática.

Assim as coisas se invertem e em vez de pedir para entrar, você precisa pedir para sair, caso deseje. Quanto a segurança de suas informações, as empresas envolvidas são obrigadas a protege-las seguindo os moldes do sigilo bancário.

O seu acesso ao banco de dados é gratuito e pode ser realizado através de empresas como Boa Vista, Serasa e Quod. A expectativa é aumentar a concorrência entre empresas de crédito e melhorar as taxas para empréstimos e financiamentos.

Além das empresas acima, você pode aderir, consultar, alterar ou sair do Cadastro Positivo através do seu banco. Por ele você pode ainda (des)autorizar empresas de análise de crédito e permitir (ou não) a inclusão de prestadores de serviço.

Segundo um estudo da Serasa Experian, o Cadastro Positivo poderia beneficiar 137 milhões de brasileiros. E em dois anos o Banco Central terá que enviar ao Congresso um relatório sobre a redução nas taxas de juros por conta desse sistema.